Homilias, Notícias › 27/10/2014

Papa Francisco adverte cristãos “cinzentos”

topic

“O exame de consciência de nossas palavras nos faz entender se somos cristãos da luz, das trevas ou cristãos ‘cinzentos’”: foi o que disse o Papa Francisco na homilia matutina desta segunda-feira, 27, na Casa Santa Marta.

“Os homens se reconhecem por suas palavras. São Paulo, convidando os cristãos a se comportarem como filhos da luz e não como filhos das trevas, ‘faz uma catequese sobre a palavra’. Existem quatro palavras para entender se somos filhos das trevas”:

“É uma palavra hipócrita, um pouco aqui, um pouco ali, para ficar bem com todos? É uma palavra vazia, sem substância? É uma palavra vulgar, trivial, ou seja, mundana? Ou é uma palavra suja, obscena? Estas quatro palavras não são dos filhos da luz, não vêm do Espírito Santo, não vêm de Jesus, não são palavras evangélicas… este modo de falar, de falar de coisas sujas, mundanidade ou vacuidades, de falar hipocritamente”.

Qual é, então, a palavra dos Santos, ou seja, dos filhos da luz?

“Paulo diz: ‘Sejam imitadores de Deus: caminhem na caridade; caminhem na bondade; caminhem na mansidão’. Sejam misericordiosos – diz Paulo – perdoando-se mutuamente, como Deus os perdoou em Cristo. Sejam imitadores de Cristo e caminhem na caridade, ou seja, caminhem na misericórdia, no perdão e na caridade. Esta é a palavra de um filho da luz”.

“Existem cristãos luminosos, repletos de luz – observou o Papa –, que tentam servir o Senhor com esta luz”. E “existem cristãos tenebrosos”, que conduzem “uma vida de pecado, uma vida distante do Senhor” e usam aquelas quatro palavras que “são do maligno”. “Mas há um terceiro grupo de cristãos”, que não são “nem luminosos nem sombrios”.

“São os cristãos cinzentos. E esses cristãos cinzentos uma vez estão de um lado; outra vez, de outro. As pessoas comentam: ‘Mas esta pessoa está bem com Deus ou com o diabo?’ Eh? Sempre cinzentos. Mornos. Não são nem luminosos nem sombrios. Deus não ama esse tipo de pessoa. No Apocalipse, o Senhor diz a esses cristãos cinzentos: ‘Não és quente nem frio. Quem dera fosses quente ou frio. Assim, porque és morno – cinzento – estou para te vomitar de minha boca’. O Senhor é duro com os cristãos cinzentos. ‘Mas eu sou cristão, mas sem exagerar!’ dizem eles, e fazem tão mal, porque seu testemunho cristão é um testemunho que, no final, semeia confusão, semeia um testemunho negativo”.

Não nos deixemos enganar pelas palavras vazias – exortou o Papa. “Ouvimos tantas coisas, algumas belas, bem ditas, mas vazias, sem conteúdo”. Ao invés, comportemo-nos como filhos da luz. “Nos fará bem hoje pensar na nossa linguagem, concluiu o Papa – e nos perguntar: “Sou cristão da luz? São cristão da escuridão? Sou cristão cinzento? E assim podemos dar um passo avante para encontrar o Senhor”.

Newsletter

Cadastre-se para receber as notícias do Santuário!