“Senhor, dá-me desta água, para eu não ter mais sede.”

Liturgia domenicale - 3QU-A

 

 

A Palavra de Deus que hoje nos é proposta afirma, essencialmente, que o nosso Deus está sempre presente ao longo da nossa caminhada pela história e que só Ele nos oferece um horizonte de vida eterna, de realização plena, de felicidade perfeita.

A primeira leitura, Ex 17, 3-7 mostra como Jahwéh acompanhou a caminhada dos hebreus pelo deserto do Sinai e como, nos momentos de crise, respondeu às necessidades do seu Povo. O quadro revela a pedagogia de Deus e dá-nos a chave para entender a lógica de Deus, manifestada em cada passo da história da salvação.

Salmo 94 – Não fecheis o coração, ouví, hoje, a voz de Deus!

A segunda leitura, Rom 5, 1-2.5-8 repete, noutros termos, o ensinamento da primeira: Deus acompanha o seu Povo em marcha pela história; e, apesar do pecado e da infidelidade, insiste em oferecer ao seu Povo – de forma gratuita e incondicional – a salvação.

O Evangelho, Jo 4, 5-42 também não se afasta desta temática… Garante-nos que, através de Jesus, Deus oferece ao homem a felicidade (não a felicidade ilusória, parcial e falível, mas a vida eterna). Quem acolhe o dom de Deus e aceita Jesus como “o salvador do mundo” torna-se um Homem Novo, que vive do Espírito e que caminha ao encontro da vida plena e definitiva.

f45604410

Reflexão

No Evangelho deste domingo, através de seu diálogo com uma samaritana, Jesus nos dá o exemplo de como deve ser o relacionamento entre irmãos e, nos ensina como entrar em sintonia com uma pessoa necessitada de Deus. No diálogo com uma desconhecida, Jesus revela a fonte da verdadeira felicidade.

Este texto é rico de símbolos e significados. Naquele tempo, a água era valorizada e o poço tinha um significado todo especial. Longe do poço era impossível sobreviver. Hoje, temos água encanada. Nós a recebemos em casa sem nenhum sacrifício, por isso nem sequer nos damos conta do quanto a água é preciosa.

Basta abrir a torneira e a temos em abundância. Como num passe de mágica, ela aparece. Tornou-se tão cômodo o acesso à água, que ela acabou sendo desvalorizada e negligenciada. Sem o menor cuidado, desperdiçamos e poluímos. Pelo visto poucos se lembram de que sem água, não há vida.

Antigamente o poço era um local de encontro. Junto ao poço os pastores se encontravam para dar de beber ao seu rebanho. Ali paravam os comerciantes com suas mercadorias e as mulheres vinham buscar água para os seus afazeres. Neste evangelho, Jesus despreza as normas e conversa com uma mulher. Já pensou? Jesus conversando com uma mulher?

Um judeu jamais falava em público com uma mulher e muito menos com uma samaritana, pois os judeus eram inimigos dos samaritanos. Jesus se coloca acima de preconceitos e diferenças religiosas. Tudo que Jesus deseja é que a mulher se converta e viva. No gesto humilde de pedir-lhe água, ele lhe oferece da água viva que vai transformar sua vida e fazê-la feliz.

Jesus vai além, mostrando à mulher que o verdadeiro culto a Deus é bem diferente daquele culto que os judeus e os samaritanos lhe prestavam. Aos poucos ela vai conhecendo Jesus. Com um jeito de ensinar todo seu, Jesus leva a mulher a descobrir que ele é o Messias esperado.

Assim que encontrou Jesus, já convertida, a samaritana assume seu apostolado. Torna-se uma evangelizadora e vai logo procurar seus amigos e vizinhos. Quer que também eles se encontrem com Jesus, o Messias esperado, o único que pode dar da água viva, que jorra para a vida eterna.

Todo encontro com Jesus nos transforma. Na oração, na meditação de sua Palavra, Ele nos converte para o bem e nos desperta para o serviço ao próximo. A samaritana não se limitou a conversar com Jesus. Conversou o tempo necessário e foi correndo anunciá-lo, pois todos precisavam saber que o Messias já havia chegado.

Essa samaritana deve ser imitada. Assim que entendeu a mensagem, ela correu para anunciar. Devemos fazer exatamente o que ela fez, pois é isso que Jesus espera de cada um de nós! Não basta ficar só conversando com Deus, é preciso divulgar, proclamar, é preciso anunciá-lo.

A oração nos fortalece. Sem ela nada é possível, porém a oração não deve tornar-se um ato isolado. A oração se completa através da ação. É preciso anunciar, apresentar Jesus ao mundo, pois todos precisam conhecê-lo e amá-lo. É missão do cristão sair a campo, subir nos telhados e gritar que o Messias já chegou.

Vamos ensinar o caminho da Fonte Inesgotável para todos aqueles que têm sede de justiça, de fraternidade e de amor. O mundo inteiro precisa saber desta verdade: Jesus, a Água Viva, é a verdadeira Paz e está presente no meio de nós! Pense bem… poderia haver notícia melhor?

 

Newsletter

Cadastre-se para receber as notícias do Santuário!