Liturgia dominical › 19/06/2014

“Não tenhais medo, eu venci o mundo”.

Corpus-Domini-A

No domingo passado, vimos que Deus chama e envia inúmeras pessoas para realizar seu Plano de Salvação. As leituras bíblicas deste domingo falam das dificuldades que os discípulos encontrarão para serem fiéis a esse chamado, mas garantem também que o amor de Deus não os abandona.

 

A 1a Leitura, apresenta o drama vivido pelo profeta do JEREMIAS. Para ser fiel à sua missão, experimenta perseguição, solidão e abandono. No entanto não deixa de confiar em Deus. (Jr 20,10-13) No começo, teve medo e resistiu: “Vê, Senhor, que eu não sei falar, sou ainda menino”. – E o Senhor não desiste: “Para onde eu te enviar, irás; e o que eu te mandar, falarás: não tenhas MEDO, pois eu estarei contigo para te livrar”. – Acolhendo a ordem do Senhor, Jeremias vai a Jerusalém e diante do templo pronuncia um discurso violento: acusa as autoridades, desmascara suas trapaças e prediz a destruição do templo de Jerusalém. – A reação foi imediata: foi preso incomunicável numa cruel prisão… Considerado um “Profeta da desgraça”, sentiu-se repudiado pelo povo e abandonado pela própria família… – Aí surgem as “Lamentações de Jeremias”, que são verdadeiros desabafos, em que o profeta expõe a sua amargura. No entanto não deixou de confiar em Deus, no seu poder, na sua justiça e no seu amor e anunciar com coerência e fidelidade. Ele sabe que Deus nunca abandona aqueles que procuram testemunhar no mundo as suas propostas, com coragem e verdade.

Salmo 68 — Atendei-me, ó Senhor, pelo vosso imenso amor!

Na 2ª Leitura, São Paulo afirma que para a salvação o essencial não é cumprir a Lei de Moisés, mas acolher a oferta de Salvação que Deus faz a todos por Jesus. (Rm 5,12-15)

O Evangelho, continua O “Sermão apostólico”. São recomendações de Jesus ao enviar os apóstolos em Missão. O tema central é a afirmação “não tenhais medo”, repetido três vezes. E aponta três tipos de medo, que poderão encontrar:

1. Medo do fracasso (fiasco). JC. garante: Apesar das provocações e dificuldades, a sua mensagem se difundirá e transformará o mundo…

2. Medo da morte: (maus tratos… ou a própria morte…)

Jesus Cristo afirma que decisivo não é a morte física, mas perder a vida definitiva.

3. Medo pela sobrevivência (por causa da perseguição…):

Reflexão:

Jesus Cristo convida os discípulos a terem confiança na Providência de Deus. E ilustra a solicitude de Deus com duas imagens: Os pássaros de que Deus cuida e os cabelos que Deus conta… Se Deus cuida dos pássaros… tanto mais dos discípulos do seu Filho… Não tenhais medo dos homens… tende confiança em Deus!) + O Medo ainda nos acompanha: – Por Medo, a pessoa se tranca dentro de seu pequeno mundo, cada vez mais se isola da sociedade. – Por Medo, levanta muros protetores cada vez mais altos, criam-se condomínios mais fechados e seguros, como se isso resolvesse o problema do medo. – Medo da doença… do desemprego… (Qual o nosso maior medo?) O MEDO é também um grande impedimento ao anúncio do Evangelho e à sincera profissão de fé.

Por Medo de serem criticados ou desprezados, muitos deixam de anunciar as maravilhas do Reino. – Por Medo ou vergonha, muitos se omitem diante dos critérios em voga sobre amor e família, sexo e casamento, matrimônio e divórcio, vida e aborto, educação e liberdade, dinheiro e direitos humanos. E quando os princípios da moral cristã são taxados de antiquados, ficam assustados, confusos, desorientados… Será que vale a pena continuar remando contra a maré? – E por medo ou vergonha, se calam… e cedem ao velho respeito humano… Para esses, Jesus adverte: “Quem me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai, que está nos céus”. A Palavra de Deus de hoje convida-nos a fazer a descoberta desse Deus que tem um coração cheio de ternura, de bondade, de solicitude. Se nos entregarmos confiadamente nas mãos desse Deus, que é um PAI que nos dá confiança e proteção e é uma MÃE que nos dá amor e que nos pega ao colo, quando temos dificuldade em caminhar, não teremos qualquer receio de enfrentar os homens. Ele nos garante: “Não tenhais medo, eu venci o mundo”. E com ele também nós venceremos… + Dia do migrante: “Basta de Migração forçada” – Vítima também do medo: do desemprego, da fome, da doença, da violência, da injustiça, da discriminação…

Qual a nossa atitude para os migrantes: Acolhida, espaço, oportunidade?

Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa – 22.06.2014

Newsletter

Cadastre-se para receber as notícias do Santuário!