Solenidade de Nossa Senhora de Fátima – 2020

São Benedito, 13 de maio de 2020. Vendo a cada dia 13 a multidão de romeiros reunidos ao redor da Mãe de Fátima, algumas palavras e sentimentos nos saltam à mente e ao coração: fidelidade, amor, confiança, família… 

Na romaria deste dia 13 de maio de 2020, o Santuário de Fátima realiza sua XV Romaria de Treze de maio, e este ano, por causa da quarentena devido a pandemia, vamos fazer uma romaria diferente:  A ROMARIA DO CORAÇÃO. 

Movidos pelas palavras de Nossa Senhora de Fátima para a vidente Lúcia: “O Meu Imaculado Coração será o teu refúgio e o caminho que te conduzirá até Deus”, realizaremos neste ano uma romaria ao CORAÇÃO IMACULADO DE MARIA. Mesmo sem sair de casa, VAMOS NOS REFUGIAR NO CORAÇÃO DA MÃE. 

Transmitiremos, ao vivo, todas as missas. Nossa Senhora abençoe você e sua família. Rendamos graças a Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, participando na Missa para maior glória de Deus, para a maior alegria de Nossa Senhora e para alcançar auxílios nas nossas necessidades espirituais e temporais. Acesse os links abaixo:

Assista pelo Facebook – Padre Antonio Irineu

Assista pelo Facebook – Santuário de Fátima

Assista pelo Youtube – Padre Antonio Irineu
 

Programação do dia 13

07:00h – Santa Missa com o Padre Antonio Justino (Paróquia São João Paulo II)

08:00h – Cerco da Misericórdia

10:00h – Santa Missa com o Padre Antonio Irineu (Reitor do Santuário de Fátima)

12:00h – Santa Missa com o Padre Antonio Irineu (Reitor do Santuário de Fátima)

13:15h – Cerco do Rosário

15h30 – Santa Missa  com o Padre Carlos Henrique (Área Pastoral de Inhuçu e cooperador do Santuário)

 

Missa de Nossa Senhora de Fátima

 

ANTÍFONA DE ENTRADA cf. Hebr 4, 16

Vamos confiantes ao trono da graça e alcançaremos a misericórdia do Senhor. Aleluia.

 

ORAÇÃO DA COLETA

Deus de infinita bondade, que nos destes a Mãe do vosso Filho como nossa Mãe, concedei-nos que, seguindo os seus ensinamentos e com espírito de verdadeira penitência e oração, trabalhemos generosamente pela salvação do mundo e pela dilatação do reino de Cristo. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.

 

Primeira leitura (Gn 3,9-15.20):

“Maria veio a ser a Mãe espiritual de todos os homens”.

Leitura do Livro do Gênesis

Depois de Adão ter comido do fruto da árvore, o Senhor Deus chamou-o e disse-lhe: “Onde estás?”. Ele respondeu: “Ouvi teu ruído no jardim. Fiquei com medo, porque estava nu, e escondi-me”. Deus perguntou: “E quem te disse que estavas nu? Então comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer?” O homem respondeu: “A mulher que me deste por companheira, foi ela que me fez provar do fruto da árvore, e eu comi”. Então o SENHOR Deus perguntou à mulher: “Por que fizeste isso?” E a mulher respondeu: “A serpente enganou-me, e eu comi”. E o SENHOR Deus disse à serpente: “Porque fizeste isso, serás maldita entre todos os animais domésticos e entre todos os animais selvagens. Rastejarás sobre teu ventre e comerás pó todos os dias de tua vida. Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”. À mulher ele disse: “Multiplicarei os sofrimentos de tua gravidez. Entre dores darás à luz os filhos. Teus desejos te arrastarão para teu marido, e ele te dominará”. Ao homem ele disse: “Porque ouviste a voz da tua mulher e comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer, amaldiçoado será o solo por tua causa. Com sofrimento tirarás dele o alimento todos os dias de tua vida. Ele produzirá para ti espinhos e ervas daninhas, e tu comerás das ervas do campo. Comerás o pão com o suor do teu rosto, até voltares ao solo, do qual foste tirado. Porque tu és pó e ao pó hás de voltar”. O homem chamou à sua mulher “Eva”, porque ela se tornou a mãe de todos os viventes. Palavra do Senhor.

 

SALMO RESPONSORIAL Judite 13, l8bcde.19 (R. 15, 9d)

Refrão: Tu és a honra do nosso povo.

Bendita sejas, minha filha, pelo Deus Altíssimo, mais do que todas as mulheres da terra; e bendito seja o Senhor nosso Deus, criador do céu e da terra.

Ele enalteceu de tal forma o teu nome que nunca mais deixarão os homens de celebrar os teus louvores e recordarão eternamente o poder de Deus.

Não poupaste a vida perante a humilhação da nossa raça, mas evitaste a nossa ruína, caminhando com retidão na presença do nosso Deus.

 

Segunda Leitura (Ap 21, 1-5a):

Maria, membro eminente inteiramente singular da Igreja, seu tipo e exemplar perfeitíssimo na Fé e na Caridade (L.G. nº 53) foi levada ao céu em corpo e alma (L.G. nº 59). Lá se encontra a Igreja triunfante e gloriosa convivendo plenamente com a Trindade Santíssima sem a menor sombra de mal nem dor.

Leitura do Apocalipse de São João

Eu, João, vi um novo céu e uma nova terra, porque o primeiro céu e a primeira terra tinham desaparecido e o mar já não existia. Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do Céu, da presença de Deus, bela como noiva adornada para o seu esposo. Do trono ouvi uma voz forte que dizia: Eis a morada de Deus com os homens.Deus habitará com os homens: eles serão o seu povo e o próprio Deus, no meio deles, será o seu Deus. Ele enxugará todas as lágrimas dos seus olhos; nunca mais haverá morte nem luto, nem gemidos nem dor, porque o mundo antigo desapareceu». Disse então Aquele que estava sentado no trono: «Vou renovar todas as coisas». Palavra do Senhor.

 

EVANGELHO  Jo 19, 25-27:

Cristo disse do alto da Cruz: “Mãe eis o Teu filho. Filho, eis a tua Mãe”. E com tais palavras abriu, de um modo novo, o Coração da Sua Mãe que com o seu sim aceita também ser Mãe da Igreja (João Paulo II em Fátima).

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo João

Naquele tempo, estavam junto à cruz de Jesus sua Mãe, a irmã de sua Mãe, Maria, mulher de Cléofas e Maria Madalena. Ao ver sua Mãe e o discípulo predileto, Jesus disse a sua Mãe: “Mulher eis o teu filho”.

Depois disse ao discípulo: “Eis a tua Mãe”. E a partir daquela hora, o discípulo a recebeu em sua casa. Palavra da Salvação

 

ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS

Por este sacrifício de reconciliação e de louvor, que Vos oferecemos na festa da Virgem Santa Maria, perdoai benignamente, Senhor, os nossos pecados e orientai os nossos corações no caminho da santidade e da paz. Por Nosso Senhor.

 

PREFÁCIO Maria, imagem e mãe da Igreja

  1. O Senhor esteja convosco.
  2. Ele está no meio de nós.
  3. Corações ao alto.
  4. O nosso coração está em Deus.
  5. Demos graças ao Senhor nosso Deus.
  6. É nosso dever, é nossa salvação.

Senhor, Pai santo, Deus eterno e onipotente, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação dar-Vos graças, sempre e em toda a parte, e exaltar a vossa infinita bondade ao celebrarmos a festa da Virgem Santa Maria.

Recebendo o vosso Verbo em seu Coração Imaculado, ela mereceu concebê-lo em seu seio virginal e, dando à luz o Criador do universo, preparou o nascimento da Igreja. Junto à cruz, aceitou o testamento da caridade divina e recebeu todos os homens como seus filhos, pela morte de Cristo gerados para a vida eterna.

Enquanto esperava, com os Apóstolos, a vinda do Espírito Santo, associando-Se às preces dos discípulos, tornou-Se modelo admirável da Igreja em oração.

Elevada à glória do Céu, assiste com amor materno a Igreja ainda peregrina sobre a terra, protegendo misericordiosamente os seus passos a caminho da pátria celeste, enquanto espera a vinda gloriosa do Senhor.

Por isso, com os Anjos e os Santos, proclamamos a vossa glória, cantando a uma só voz: Santo, Santo, Santo.

 

ANTÍFONA DA COMUNHÃO

  1. Judite 13, 24-25:   Bendito seja o Senhor, que deu tanta glória ao vosso nome: todas as gerações cantarão os vossos louvores.

Ou Jo 19, 26-27:    Suspenso na cruz, Jesus disse a sua Mãe: Eis o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis a tua Mãe.

 

ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO

Concedei, Senhor, que o sacramento que recebemos conduza à vida eterna aqueles que proclamam a Virgem Santa Maria Mãe do vosso Filho e Mãe da Igreja. Por Nosso Senhor.

 

Liturgia das horas

Da Exortação Apostólica Signum magnum do Papa Paulo VI (Dia 13 de Maio de 1967: AAS 56, 1967, 4-473, 475)

Maria, Mãe da Igreja e Advogada dos fiéis

Por ocasião das cerimônias religiosas que têm lugar nestes dias em Fátima, Portugal, em honra da Virgem Mãe de Deus, onde acorrem numerosas multidões de fiéis para venerarem o seu coração maternal e compassivo, desejamos mais uma vez chamar a atenção de todos os filhos da Igreja para o inseparável vínculo que existe entre a maternidade espiritual de Maria e os deveres que têm para com Ela os homens resgatados.

Julgamos ser de grande utilidade para as almas dos fiéis considerar duas verdades muito importantes para a renovação da vida cristã. A primeira verdade é esta: Maria é Mãe da Igreja, não só por ser Mãe de Jesus Cristo e sua íntima colaboradora na nova economia da graça, quando o Filho de Deus n’Ela assumiu a natureza humana para

libertar o homem do pecado mediante os mistérios da sua carne, mas também porque brilha à comunidade dos eleitos como admirável modelo de virtude.

Depois de ter participado no sacrifício redentor de seu Filho, e de maneira tão íntima que mereceu ser por Ele proclamada Mãe não somente do discípulo João, mas – seja consentido afirmá-lo – do gênero humano, por este de algum modo representado, Ela continua agora no Céu a desempenhar a sua função materna de cooperadora no nascimento e desenvolvimento da vida divina em cada alma dos homens remidos.

Mas de que modo coopera Maria no crescimento da vida da graça nos membros do Corpo Místico? Antes de tudo, pela sua oração incessante, inspirada por uma ardentíssima caridade. A Virgem Santa, de fato, gozando embora da contemplação da Santíssima Trindade, não esquece os seus filhos que caminham, como Ela outrora, na peregrinação da fé; pelo contrário, contemplando-os em Deus e conhecendo bem as suas necessidades, em comunhão com Jesus Cristo que está sempre vivo para interceder por nós, deles se constitui Advogada, Auxiliadora, Amparo e Medianeira.

No entanto, a cooperação da Mãe da Igreja no desenvolvimento da vida divina nas almas não consiste apenas na sua intercessão junto do Filho. Ela exerce sobre os homens remidos outra influência importantíssima, a do exemplo, segundo a conhecida máxima: as palavras movem, o exemplo arrasta. Realmente, tal como os ensinamentos dos pais adquirem maior eficácia quando são acompanhados pelo exemplo duma vida conforme as normas da prudência humana e cristã, assim também a suavidade e o encanto das excelsas virtudes da Imaculada Mãe de Deus atraem irresistivelmente as almas para a imitação do divino modelo, Jesus Cristo, de que Ela foi a mais perfeita imagem.

Mas nem a graça do divino Redentor nem a poderosa intercessão de sua e nossa Mãe espiritual poderiam conduzir-nos ao porto da salvação, se a tudo isso não correspondesse a nossa perseverante vontade de honrar Jesus Cristo e a Virgem Mãe de Deus com a fiel imitação das suas sublimes virtudes. É, pois, dever de todos os cristãos imitar religiosamente os exemplos de bondade que lhes deixou a Mãe do Céu. É esta a segunda verdade sobre a qual nos agrada chamar a vossa atenção. É em Maria que os cristãos podem admirar o exemplo que lhes mostra como realizar, com humildade e magnanimidade, a missão que Deus confiou a cada um neste mundo, em ordem à sua eterna salvação e à do próximo.

Uma mensagem de suma utilidade parece chegar hoje aos fiéis da parte d’Aquela que é a Imaculada, a toda santa, a cooperadora do Filho na restauração da vida sobrenatural das almas. A santa contemplação de Maria incita-os, de fato, à oração confiante, à prática da penitência, ao santo temor de Deus, e recorda-lhes com frequência aquelas palavras com que Jesus Cristo anunciava estar perto o reino dos Céus: Arrependei-vos e acreditai no Evangelho, bem como a sua severa advertência: Se não vos arrependerdes, perecereis todos de maneira semelhante.

Comemorando-se este ano o vigésimo quinto aniversário da solene consagração da Igreja a Maria Mãe de Deus e ao seu Coração Imaculado, feita pelo Nosso Predecessor Pio XII no dia 31 de Outubro de 1942, por ocasião da Rádio – Mensagem à Nação Portuguesa – consagração que Nós mesmo renovamos no dia 21 de

Novembro de 1964 – exortamos todos os filhos da Igreja a renovar pessoalmente a sua própria consagração ao Coração Imaculado da Mãe da Igreja e a viver este nobilíssimo ato de culto com uma vida cada vez mais conforme à vontade divina, em espírito de serviço filial e devota imitação da sua celeste Rainha

Newsletter

Cadastre-se para receber as notícias do Santuário!